Fandom

CriaWiki

Homem de Piltdown

96 páginas
nesta wiki
Adicione uma página
Falar3 Compartilhar

AlegaçãoEditar

Alguns dos ossos do passado, famosos por serem considerados de espécies transicionais, não são mais vistos dessa maneira nem pelos evolucionistas. O Homem de Piltdown, uma referencia nos livros de ciência e museus durante anos acabou desmascarado como fraude.[1]

...foi uma fraude forjada por Charles Dawson a partir de um fragmento de maxilar, dois dentes e um fragmento de crânio. A fraude foi descoberta quarenta anos mais tarde.[2]

RespostaEditar

Uma das vedetes dos argumentos criacionistas, por algum motivo eles citam fraudes que ocorreram décadas atrás como se elas invalidassem todos os fósseis que já foram encontrados até hoje.

É claro que não, fraudes ocorrem em qualquer área de conhecimento. Mas foi o método científico que permitiu descobrir que se tratava de uma montagem de um crânio humano com o maxilar de um chimpanzé. Só isso seria suficiente para derrubar o pobre argumento de Piltdown, mas há mais coisas a serem ditas.

Piltdown, antes de ser desmascarado pela ciência como fraude, não era aceito com unanimidade pela comunidade científica. Na verdade, ele foi uma pedra no sapato, pois ele não se encaixava na teoria evolucionária. É claro, era um híbrido inventado com partes de ossos modernos. Ele foi aceito por muitos apenas por ser um achado fabuloso para a época, o que é uma fraqueza humana, a qual todos nós estamos sujeitos.

A fraude durou por quarenta anos, gerando muita polêmica, pois seus grandes descobridores, Charles Dawson e Arthur Smith Woodward, proibiram o acesso a análises científicas, deixando o crânio fora do alcance de todos, dentro do Museu Britânico. Somente quando eles morreram, Piltdown foi desmascarado como a fraude que era. Vale ressaltar, desmascarado por cientistas, graças ao método científico.[3]

Descobrir um erro não invalida o método científico, muito pelo contrário, ele apenas o fortalece. Assim sabemos que podemos confiar na ciência, pois ela se corrige, se aprimora, e se fiscaliza.

Interessante notar, após Piltdown ser descoberto como forjado, nenhum cientista jamais o citou como verdadeiro. No entanto, muitos criacionistas continuamente citam fraudes, não importando quantas vezes elas já foram desmascaradas, como as pegadas de humanos e dinossauros em Paluxy, esqueletos de gigantes, descoberta da Arca de Noé, Darwin se arrepender no leito de morte (essa alegação fantasiosa foi feita até sobre seu avô, Erasmus Darwin), citações de cientistas fora de contexto, etc.

Informações adicionaisEditar

O Homem de Piltdown foi uma fraude paleontológica aceita pela comunidade científica por mais de 40 anos. Foi encontrado na Grã-Bretanha (Pitdown, Sussex, 1912), por Charles Dawson.

O sítio onde foi encontrado se encaixava com desejos de supremacia européia, pois dava esperanças de que a Europa fosse o berço da Humanidade. A razão de esta fraude ter sido temporariamente aceita pela comunidade científica foi a falta de acesso ao tipo paleontológico, fragmentos de crânio que supostamente teriam pertencido a um ancestral do homem moderno. Sem reprodutibilidade e peer-review, o método científico funciona mal e fica mais sujeito a erros. Outra razão é que este crânio estava fragmentado, e foi tratado quimicamente para parecer antigo, o que poderia ludibriar melhor os métodos acessíveis na época.

Mas, uma vez que estes fragmentos de crânio foram expostos à investigação independente, descobriu-se que se tratava de uma fraude, uma junção artificial entre um crânio de Homo sapiens e uma mandíbula de outro primata, possivelmente Pongo sp. (orangotango). Na descoberta da fraude, em 1953, o periódico The Times noticiou que os dentes seriam de chimpanzé (Pan sp.).

A identidade do falsário permanece desconhecida, mas entre os suspeitos se incluem o próprio Dawson, Pierre Teilhard de Chardin, Arthur Keith, Martin A.C. Hinton, e Arthur Conan Doyle entre outros.

Stephen Jay Gould propõe em "O Polegar do Panda" que o culpado é provavelmente Teilhard de Chardin, filósofo e jesuíta francês com conhecimentos em Paleontologia e Geologia.

O fato de o homem de Piltdown ser uma fraude não é uma ameaça à posição do Homo sapiens como uma das milhões de espécies biológicas que surgiram pela evolução. Muitas outras evidências apóiam esta óbvia conclusão da Teoria da Evolução, não apenas na Paleontologia, mas também na área da Genética, Biologia Molecular, entre outras ciências.

ReferênciasEditar

  1. http://www.orkut.com/CommMsgs.aspx?cmm=138671&tid=2489966083945474181
  2. Verdade Eterna; Fraudes do Homem-Macaco [1]
  3. Harter, Richard, 1996. Piltdown Man: The bogus bones caper. http://www.talkorigins.org/faqs/piltdown.html

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no Fandom

Wiki aleatória